Solicite uma visita!

Na Mídia

Matéria com participação de Patricia Sperancetta – Proprietária da Feng Shui Curitiba
Esta matéria foi publicada na Revista Top View – Edição #131

O Feng Shui pode ser um aliado na hora de planejar uma casa ou apartamento. Quando aplicadas no projeto, as técnicas ajudam a abrir caminho para as boas vibrações e harmonizar o espaço.

Há milênios as técnicas do Feng Shui são usadas para atrair saúde, prosperidade, e harmonia para os ambientes. Do oriente, trouxemos o costume  de colocar plantas, pendurar espelhos, sinos de vento e cristais multifacetados. O que muita gente não sabe é que a tradição vai além da decoração e pode ser aplicada na hora de escolher o melhor terreno ou projetar a casa ou o apartamento.

A novidade, que aos poucos chega por aqui, já é costume antigo em outros países. Em Hong Kong, na China, a maioria das empresas e famílias consulta especialistas em Feng Shui antes de comprar terrenos e encomendar o projeto. Anúncios de venda de imóveis de luxo ressaltam a qualidade do Feng Shui do local, da planta e das formas do edifício. Nos Estados Unidos, a adesão de famosos ajuda a popularizar as técnicas.

Caso de Donald Trump, um dos mais famosos investidores do setor imobiliário. Diz a lenda que o endinheirado alterou o desenho de vários de seus empreendimentos com a ajuda do Feng Shui. Satisfeito com o resultado, até hoje ele continuaria usando esses recursos em seus investimentos imobiliários.

Acredita-se que o Feng Shui tenha surgido na Índia e chagado à China há cerca de 4 mil anos via Tibete. A técnica era usada para encontrar terras férteis, posicionar monumentos e transformar lugares em uma versão do Paraíso. Concentra a essência de várias filosofias, como o Taoísmo, o I Ching e o Budismo.

No início dos anos 80, o mestre chinês Thomas Lin Yun migrou para os Estados Unidos e difundiu o conhecimento. Dez anos depois, as técnicas chegaram ao Brasil.

CUIDADOS COM O BANHEIRO

Veios d´água e falhas geológicas interferem negativamente no bem estar das pessoas. Se há esse tipo de ocorrência, é possível setorizar a planta baixa no terreno com as técnicas do Feng Shui. Caso não seja possível alterar a planta, recomenda-se fazer a cura dessa influência. Foi o que fez a arquiteta e consultora em Feng Shui Patrícia Sperancetta na hora de projetar uma fábrica de andaimes em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. No local onde a obra seria instalada, havia um veio d´água que, de acordo com a planta, ficaria bem  debaixo do escritório.

Como a área já estava comprada, a solução foi fazer a cura. Foram colocadas placas de chumbo entre o terreno e o contra-piso para neutralizar a drenagem do Ch´i. “A empresa poderia ter dificuldades de caixa e as pessoas sentiriam-se cansadas ou ficariam doentes”, explica. Patrícia conta que recentemente recebeu notícias de que o negócio do seu cliente estava prosperando. “Eles estão se mudando para um barracão três vezes maior.”

Outro cuidado essencial é a localização do banheiro na planta. Por conter fluxo de água e esgoto, pode ser prejudicial às boas vibrações. O espaço precisa ser bem ventilado e ter luz natural. Evite projetá-lo no meio da casa, pois esse local é o centro de distribuição da vitalidade para todos os ambientes. Se estiver nas áreas de fogo (finanças, fama e matrimônio) também pode gerar conflitos.

Quando o Feng Shui não for feito na hora de desenhar a planta da casa, pode-se corrigir o problema colocando plantas vivas, e espelhos na face exterior da porta de entrada do banheiro.

“Um cuidado importante é não deixar que o banheiro fique adjacente à cabeceira da cama” , aconselha Patrícia. “As tubulações de água e esgoto não devem estar próximas à cabeça, pois trazem intranquilidade, perturbam o sono e prejudicam a saúde.”

RODA DA FORTUNA

Em Cingapura, um dos maiores centros financeiros do mundo, tudo é projetado e pensado para atrair dinheiro

A cidade-estado tem a maior roda gigante do mundo, com 165 metros de altura, que não foi construída para entreter e sim para chamar fortuna. Na tradição chinesa, a roda é um símbolo de prosperidade e seu movimento representa a continuidade da vida.

Aquilo que seria um símbolo de sorte virou motivo de apreensão. Depois de ser inaugurada, descobriram que ela não estava de acordo com os princípios do Feng Shui. Ao invés de atrair prosperidade, a roda poderia afastar a riqueza do país. Isso porque do jeito que girava em relação ao centro financeiro de Cingapura era como se ela estivesse tirando o dinheiro e a prosperidade daquele lugar.

Decidiram, então, alterar o sentido de sua rotação. Reinaugurada há três anos, a roda da fortuna agora gira na direção certa, a da abundância.

ENTENDA  O FENG SHUI NA ARQUITETURA

Da mesma forma como a acupuntura atua no corpo, o Feng Shui age desbloqueando o fluxo de energias num ambiente.  A busca do equilíbrio é feita por meio dos cinco elementos da natureza: água, fogo, terra, madeira e metal.E para isso é aplicado o Baguá, um mapa que tem a forma de um polígono de oito lados, onde se localizam os aspectos básicos da vida: trabalho, espiritualidade, família, saúde, prosperidade, fama, relacionamentos, criatividade e filhos, amigos e benfeitores. Os especialistas dizem que, quando equilibramos essas áreas com as forças benéficas da natureza, podemos alcançar prosperidade, saúde e felicidade.

Uma das mais tradicionais escolas de Feng Shui, a Escola do Chapéu Negro (de origem Tibetana), aplica o Ba-Guá sob o centro da planta baixa de uma residência, alinhando a área do trabalho com a entrada principal de cada pavimento.

Para encaixá-lo em plantas quadradas ou retangulares, basta esticar as linhas da figura até o final da planta. Nas casas em forma de L, podem ocorrer áreas cortadas ou expandidas do octógono. Áreas estendidas para fora do Ba-Guá representam uma adição e são de natureza positiva, pois tendem a aumentar ou fortalecer a atividade relacionada. Já nas áreas cortadas ou ausentes debilitam o ch´i e trazem prejuízo para aquele determinado aspecto da vida.

SABEDORIA MILENAR

Conheça algumas orientações do Feng Shui na hora de comprar um terreno ou projetar a sua obra.

SIM

- As melhores formas de terreno são as quadradas, retangulares e redondas.

- Construções em península têm bom Feng Shui.

- A construção de um hall ou varanda antes da porta principal ajuda a acumular o ch´i.

- Banheiros precisam ter boa ventilação e luz natural.

- Em morros, recomenda-se construir de preferência em posição intermediária, na ladeira, que traz abundância física e espiritual.

- A casa ou apartamento precisa estar acima do nível da rua.

- A porta de entrada é chamada de boca de ch´i e  é por onde a energia vital irá entrar para nutrir toda a casa e seus habitantes.Ela deve ser ampla, com boa visibilidade e livre de obstruções, como árvores grandes e colunas.

NÃO

- Evite tetos inclinados, canto e vigas aparentes que cortam a cozinha ou os quartos. “As vigas sobre a cama trazem influências negativas que vão desde dores de cabeça até conflitos entre o casal”, explica a arquiteta e consultora em Feng Shui Patrícia Sperancetta.

- Construções no topo de morros ficam muito expostas a mudanças súbitas.

- Árvores, paredes e colunas na frente da porta de entrada principal bloqueiam a entrada de energia na casa.

- Cozinhas causam conflitos se estiverem posicionadas nas áreas da água (conhecimento, profissão, benfeitores) e no centro da casa. A solução é colocar um espelho atrás das bocas  do fogão e nas paredes exteriores.

- Casas localizadas em baías têm suas energias drenadas.

- Não construa portas de entrada que abrem para áreas fechadas ou que fiquem abaixo do nível da rua. Cuidado com o que você vê ao abrir a porta principal. Se houver na frente uma janela, a energia vai escoar rápido demais. Já quando há uma parede, a entrada do ch´i fica bloqueada.

- Terrenos próximos a torres de celular, hospitais, açougues, cemitérios e necrotérios não têm um bom Feng Shui.